Image Map

23 fevereiro 2012



Distúrbios Alimentares na Adolescência

Os distúrbios alimentares tornaram-se, nos últimos 15 anos, alvo de intensas pesquisas dado o grande aumento de sua incidência na população jovem, principalmente nos adolescentes. 

Estudos na década de 80, nos EUA, revelaram que a anorexia nervosa (AN) é a terceira doença crônica mais comum entre adolescentes do sexo feminino (10 a 20 mulheres para 1 homem), só perdendo para asma e obesidade. Quanto à bulimia nervosa (BN), afeta 1 a 5% desta população, sendo também mais freqüente na mulher. 
A AN e a BN são complexas do ponto de vista etiológico, são crônicas, de difícil controle, é necessário o acompanhamento a longo prazo e as recaídas são freqüentes. 

A faixa etária mais acometida está entre os 10 e 19 anos. 

Pediatras e hebiatras devem estar alerta para os sinais dessas doenças. 

O diagnóstico e tratamento precoce podem fazer toda a diferença entre o fracasso e o sucesso terapêutico. 


Sinais de alerta 
Atualmente já se descreve o que poderia ser chamado de "comportamento de risco" para desenvolver um distúrbio alimentar. 

Em geral, os pacientes bulêmicos ou anoréticos, muito antes da doença estabelecida, já apresentavam alguma alteração do comportamento: hábito de fazer dieta mesmo quando o peso é proporcional a estatura, crítica constante a alguma parte do corpo, e insatisfação, mesmo ao perderem peso, com diminuição gradativa de suas atividades sociais. 

É importante lembrar que todas essas modalidades de comportamento são de avaliação muito difícil quando se trata de adolescente, visto que nessa faixa etária, isolamento, problemas de relacionamento, preocupação com o corpo, distorção da auto-imagem, aumento do apetite, modismos alimentares, etc., são característicos e esperados, fazendo parte da chamada "Síndrome da adolescência normal". 


Anorexia nervosa 
Suas complicações envolvem diferentes órgãos e sistemas, que por sua vez respondem de forma característica ao grau de desnutrição alcançado. 

No aparelho cardiovascular ocorre redução da massa cardíaca associada a diminuição da pressão arterial e freqüência cardíaca. 

A bradicardia pode ser intensa e chegando a parada, sendo muitas vezes indicação de internação. 

O trato gastrointestinal apresenta retardo do esvaziamento gástrico e constipação intestinal. 

Pode haver alterações das enzimas hepáticas, degeneração gordurosa do fígado e necrose hepática focal. 

Sua instalação no período pré-puberal é causa de baixa estatura e atraso da maturação sexual. 

A associação entre disfunção hipotalâmica, redução da porcentagem de gordura corporal, caquexia e exercícios físicos excessivos pode ser causa tanto de amenorréia primária quanto secundária. 

A osteopenia é secundária ao hipogonadismo hipotalâmico com baixo estrogênio, levando, nos casos mais graves, a fraturas patológicas e compressão vertebral. 

Ainda, a alteração hipotalâmica pode afetar os centros termos-reguladores, de regulação da saciedade e a concentração urinária. 

Há também hipoglicemia por deficiência de precursores para a gliconeogênese; hipoplasia de medula óssea com leucopenia e anemia. 


As causas da anorexia na aparência 

Alterações dermatológicas secundárias a desnutrição são semelhantes as observadas no marasmo: pele seca, cabelos quebradiços, alopecia e unhas descamativas. 

Com exceção da baixa estatura quando o comprometimento é na fase pré-puberal, todas essas alterações são reversíveis com a realimentação adequada e recuperação da massa corpórea. 


Bulimia nervosa 
Suas principais complicações clínicas são decorrentes da forma como o paciente elimina o excesso de comida após o episódio de "comer-compulsivo". 

Os vômitos repetidos podem determinar quadros de esofagite, gastrite, Síndrome de Mallory-Weiss, esôfago de Barret, hipertrofia de glândulas salivares e desgaste do esmalte dentário. 

Pneumotorax, pneumomediastino e fratura de costela podem ocorrer por vômitos vigorosos. 

Catárticos e laxativos podem causar esteatorréia, pancreatite aguda, hiperamilasemia e elevação da aldosterona sérica. 

O sinal de Russel (lesão no dorso da mão pelo trauma repetido dos dentes incisivos na provocação dos vômitos) é patognomônico. 

Raramente o paciente apresenta comprometimento importante do estado nutricional. 


Tratamento 

Não pretendemos nos estender nesse aspecto, mas sim oferecer uma visão geral das principais condutas terapêuticas. 

Até o momento, tanto a AN como a BN não tem uma etiologia definida. 

Causas multifatoriais como fatores pessoais, psíquicos, familiares e ambientais estão envolvidos em sua gênese. 

Por esse motivo a terapêutica se baseia num trabalho de equipe multidisciplinar com médicos, psicólogos, psiquiatras e nutricionistas. 

É consenso que a perda de peso superior a 40% é indicativa de internação para alimentação parenteral ou enteral para a reposição hidroeletrolítica e recuperação de 1 a 3 Kg. 

Nos anoréticos, a sensação de saciedade precoce ou o desconforto pós-prandial indicam o uso de prócinéticos para facilitar o esvaziamento gástrico. 

No seu acompanhamento ambulatorial, o uso da ciproheptadina (antagonista da serotonina e histaminérgico) tem mostrado efeitos positivos. 

Ansiolíticos, com o intuito de diminuir a ansiedade que antecede a refeição nesses pacientes também estão indicados, com resultados às vezes conflitantes. 

Obviamente é necessária a reposição de oligoelementos, vitaminas e sais minerais bem como a adequação da dieta. 

O tratamento psicoterápico é indispensável para o sucesso terapêutico. 

A associação da família nesse período é ainda discutido. 

Vários autores são favoráveis à adesão da família como fator determinante de sucesso. Outros determinam a total separação do paciente de seu meio familiar. 

Já na bulimia nervosa, a forte associação com desordens afetivas, especialmente a depressão, o uso de antidepressivos tem mostrado sucesso e mais recentemente, o uso da fluoxetina, agonista específico da serotonina, tem despertado interesse, pois além do efeito antidepressivo produz redução do apetite como efeito colateral. 

Conclusão: 

Distúrbios alimentares continuam sendo um importante problema para o hebiatra. 

Esse especialista deve estar atento para o diagnóstico dessas condições, visto que a intervenção precoce determina melhora do prognóstico, sem contudo confundir o que pode ser o comportamento normal do adolescente ou mesmo de outras doenças (síndrome de má-absorção, tumores cerebrais, distúrbios hormonais, depressão, esquizofrenia, etc.) com os padrões aberrantes de alimentação e preocupação com a aparência encontrados nessas patologias. 

A imagem perfeita e inatingível do belo representado pela magreza, cada vez mais veiculada pela mídia, bem como a profusão de publicações leigas sobre dietas para os mais variados fins, contribuem para o aumento da incidência desses distúrbios, especialmente nos países desenvolvidos e entre as classes sociais mais favorecidas. 

Embora a anorexia e a bulimia nervosa sejam atualmente consideradas como de etiologia primariamente psiquiátrica, a freqüência e gravidade de suas complicações médicas requerem pronta participação do clínico. 

A instituição cuidadosa de uma dieta balanceada, sem provocar aumentos bruscos de peso, que pode ser um fator de ansiedade no paciente anorético, requer a participação de nutricionista capacitada. 

Nenhuma proposta terapêutica será efetiva sem o acompanhamento psicológico, seja psicanálise, terapia comportamental, terapia familiar ou a associação de dois ou mais métodos. 

Fica clara, então, a necessidade de uma equipe multidisciplinar integrada para o atendimento e apoio a esses pacientes, cujo período longo de seguimento as vezes apresenta-se como um desafio e as vezes como verdadeiro pesadelo. 

Fonte:Distúrbios alimentares na adolescência 


Comentários da Sol: 

Eu sinceramente quando vejo alguém sofrendo dessas doenças eu fico chocada e sinto muita misericórdia por essas pessoas. 

No fundo, estão desiquilibradas emocionalmente e sofrem horrores por conta disso e a família então nem se fala. 

A mídia em geral incentiva ao culto ao corpo perfeito, mas tudo que é exagero não é bom. 

Devemos sempre seguir o caminho do meio. 

Claro que bom para a saúde estar dentro o IMC, ou seja, peso ideal em relação a altura. 

Mas quando isso se torna uma espécie de obsessão, leva á vários desequilíbrios físicos e principalmente emocionais. 

Pela metafísica da saúde, a magreza em excesso, são pessoas que se sentem desamparadas. 

Vivem em função de alcançarem resultados promissores de sua atuação na realidade. 

Não possuem boa consideração de si próprias e ficam constrangidas com a presença de alguém quando estão realizando alguma atividade. 

Raramente conseguem concretizar os objetivos. 

Querem sempre mais do que são capazes de alcançar. 

São pessoas geralmente ansiosas e com isso, comprometem seus afazeres. 

Faz tudo ao mesmo tempo, comprometendo a qualidade de suas ações. 


Segue agora uma dica pra quem está bem abaixo do peso ideal: 
“Quem está abaixo do peso precisam acreditar mais em si mesmas, considerar sua capacidade realizadora, executar suas obras objetivando os bons resultados, e não precisam provar aos outros que são eficientes para angariar consideração e respeito.” 

Faça uma reciclagem de vida! 

Olhe para dentro de si, procure ajuda médica e psicológica.

Tome um Floral para se acalmar, algum remédio homeopático que ajude no seu equilíbrio emocional.

Há vários profissionais bons no mercado.

Na linguagem do corpo, relacionamos a anorexia com problemas com o Yang, ou seja, o “Pai” que é nosso primeiro modelo masculino.

O restante dos homens que passam pela nossa vida é derivado.

Por exemplo: Você pode ter uma mágoa, ou sentir rejeitada etc por seu irmão, filho, amigo etc, mas se você buscar ajuda terapêutica, descobrirá através da Hipnose, ou PNL (programação neurolinguística) que pode estar relacionada com a figura paterna.

Eu mesma já atendi vários casos assim, e muitas vezes são meninas, adolescentes na maioria das vezes com essas questões.

Uma “humilde dica” que sempre dou é faça uma oração do perdão para seu pai, todos os dias por 3 meses sem questionar e não comente com ninguém, pois é um assunto particular e do seu inconsciente, e veja se ajuda a você se equilibrar...Claro que você deve procurar ajuda de profissionais habilitados também.

Mas no geral, Deus é simples!

São simples coisas que podemos fazer que resolvem a nível inconsciente problemas que carregamos por anos e anos.

Tudo que estou sugerindo aqui não é nada relacionado a religião, ceitas ou algo parecido.

Respeito todas as religiões, e acredito em Deus acima de tudo.

São conhecimentos Egípcios, antigos e herméticos, sendo assim, são poucas as pessoas que vão tocar nesse assunto e principalmente com esta abordagem.

O sútil ajuda muito e no geral é simples.

“Quem tiver interesse de fazer a oração do perdão, basta mandar um email para mim, e se quiser me explique qual sua questão a resolver.”

No email que você enviar, cite no assunto “Oração do perdão” vi no blog TJM.
solangepsneves@hotmail.com

Outras dicas:
  • Pessoas acima do peso, problema no fígado, dores no lado direito do corpo etc... Oração do perdão para a mãe. 
  • Pessoas que tem dificuldade para ganhar peso, anorexia, dificuldade de engravidar, problemas no útero, cistos, miomas, câncer no útero, etc, oração do perdão para o pai. 
É interessante também, você se gravar fazendo a oração do perdão e ouvir todos os dias, principalmente antes de dormir, para que seu inconsciente capte melhor a oração e sua criança interna comece a perdoar e soltar o passado.

Espero que ao lerem este post todos estejam em paz, sem pedras nas mãos, porque você pode não estar com nenhum destes problemas, mas pode conhecer alguém que tenha. Então tente ajudar esta pessoa!

É simples... Muito simples!

E caso você apresente alguma resistência ao ler este post, observe se sua criança interna não está ferida com alguma pessoa do sexo masculino.

O bem gera o bem!
Somos todos irmãos perante Deus.
Semelhante atrai semelhante.
Espero que tenham apreciado.

Um grande bjo!
Fiquem com a paz! 
18
Comentários via FaceBook

18 comentários:

  1. Não conheço ninguém com esses problemas, geralmente as pessoas que conheço com algum distúrbio alimentar comentam comigo sobre o quanto comem quando estão ansiosas e por isso não conseguem emagrecer. Vi na TV falando sobre anorexia, meninas de 10 anos que começam a fazer compulsivamente alguma atividade física e em outro programa uma jornalista mostrou diversos sites e blogs incentivando outras meninas a montar um scrapbook com fotos de mulheres perfeitas, e as fotos? De modelos anorexias... Dietas exageradas das cores: dia do verde, comer uma fatia de melão no dia. Coisas assim... super exageradas! Deveria ter uma forma de banir esse tipo de informação ou incentivo na net.
    Muito legal o post Sol!
    Bjksss

    ResponderExcluir
  2. Na verdade o profissional que deve diagnosticar e tratar esses pacientes é o Nutricionista, pois é o único profissional capacitado para atuar em disturbios alimentares. Médicos não entendem de alimentação. 
    Abraços,

    Martinna

    ResponderExcluir
  3. Amei!!!  É isso aí!!!  Precisamos de post como esse para esclarecer casos de distúrbios alimentares assim.  Parabéns!  Já sou sua seguidora e divulgadora!!!
     Bjs da TT do fofaefeliz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Ale...realmente a mídia incentiva muito esta prática.
    O culto ao corpo perfeito, e em contrapartida uma pessoa com seu inconsciente mal trabalhado com a figura masculina, traz muitos problemas.

    O governo, a mídia, deveria ajudar essas pessoas de alguma maneira, com mais médicos especialistas (de preferência gratuitos), psicólogos e terapeutas treinados para lidar com esses distúrbios.

    Mas enquanto isso não acontece, fazemos nós de alguma maneira nossa parte.

    Eu agradeço as palavras, e espero poder ajudar um pouquinho que seja, quem precisar.
    Grande bjo!

    Sol Neves

    ResponderExcluir
  5. Lindo seu blog, estou te seguindo! Espero a sua visita no
    meu, aproveite as oportunidades, promoções e frete grátis para todo o Brasil!
    Esta esperando o que?! Corre lá.


     
     

    ResponderExcluir
  6. Não creio que só o nutricionista daria conta de uma questão ampla com esta.
    A psicoterapia é de grande valor nesses casos.
    Há casos que é necessário até a ajuda de um psiquiatra.
    Na verdade, o ideal seria olhar o ser humano de uma forma holística, entende?
    Amplamente...Mente, corpo e espírito.

    Mas respeito sua opinião!

    Sol Neves

    ResponderExcluir
  7. Obrigada!!!!
    Fico feliz que tenha entendido a mensagem, e que também soma conosco.
    Agradeço a Ale sempre que possível, a oportunidade  que ela me dá de postar humildemente sugestões para uma vida mais saudável.
    Sou suspeita, rsrsrsrs....Amo este blog!!!!
    Grande bjo Tereza!

    Sol Neves

    ResponderExcluir
  8. Concordo com vc!!! O blog da Ale é lindo e bem diversificado!

    ResponderExcluir
  9. Nossa concordo Sol, acho que quando a pessoa tem um problema como este, na minha opinião é um fator muito mais psicológico do que problema com a alimentação, mas nem por isso desmerece as outras áreas, acho que o tratamento tem que vir em conjunto.
    bjksss

    ResponderExcluir
  10. Sem dúvida nenhuma Ale.
    O fator está atuando no físico e muito mais no emocional.Uma equipe multidisciplinar é de grande valia.Bjo grande!Sol Neves

    ResponderExcluir
  11. Oi Sol, minha querida amiga "holística", rs.
    Parabéns! A matéria está completa e perfeita!!!
    Sabe que sempre haverá quem discorde e não entenda o ponto exato em questão; faz parte. Mas nós sabemos o quanto a metafísica/linguagem do corpo e outros tratamentos alternativos é importante.
    O que vale é a intenção de ajudar e esclarecer sempre, e isso, eu sei que vc faz muito bem!

    Um bj no seu coração.

    ResponderExcluir
  12. Fiz esse comentário baseado nos 26 anos de experîencia em clínica. Médicos atrapalham muito quando o assunto se trata de alimentação mas concordo que o paciente deve ser visto de uma forma global, neste caso com acompanhamento de psicólogos entre outros. Minha filha sempre acompanha o blog e ela me chamou para ler este artigo.

    Abraços,

    Martinna

    ResponderExcluir
  13. Oi Cris...que surpresa boa!!!
    Obrigada pelo comentário e pelo carinho.
    É verdade o que vc comentou, mas nós sabemos que somos formiguinhas agindo no bem,kkkkkkkkkk
    Um dia a ficha das pessoas caem! Geralmente pelo caminho mais difícil, o da dor!
    Paciência!
    Adoro vc!
    Grande Bjo!

    Sol Neves

    ResponderExcluir
  14. Entendo seu ponto de vista, realmente com 26 anos de experiência em clinica vc deve ter visto muitos casos, mas como disse anteriormente o psicológico conta e muito.
    Apesar que cada caso é um caso...Sempre!
    Obrigada por ler o post!
    Sinta-se convidada a participar dele dando sempre que puder sua opinião.
    O importante aqui é sempre passar o melhor!

    Grande abraço!

    Sol Neves

    ResponderExcluir
  15. Sol que post instrutivo... Com certeza irá chegar à quem precise dele!
    Realmente a sensação que dá é de misericórdia!
    Eu já disse isso em outro post seu, mas vou repetir aqui... Quanto mais que eu estudo, mais me convenço de que devemos tratar tanto as dores da alma quanto as dores do corpo.
    Porque nós controlamos todas as nossas células, a melhora vem primeiramente do nosso querer!
    Concordo plenamente que o fator psíquico está diretamente ligado à essas patologias.
    E segundo a minha fé, eu ainda iria mais longe nesse assunto... rsrsrs Pois acredito que muitas coisas são influencias de vibrações negativas invisíveis, digamos assim. E aí o tratamento é mais complicado ainda.
    Mas vale lembrar que os hospícios estão cheios de pessoas sãs, consideradas "loucas", que não tiveram a oportunidade e a sorte de achar alguém disposto a abrir o seu horizonte de conhecimento e vê-las de forma holística.
    Como profissional da área da saúde... digo... Que felicidade será o dia que a ciência caminhar em conjunto com outras idéias e pensamentos.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  16. É triste isso, mas nunca tive casos com pessoas conhecidas, mas ninguém está longe disso.

    ResponderExcluir
  17. Amei!!!  É isso aí!!!  Precisamos de post como esse para esclarecer casos de distúrbios alimentares assim.  Parabéns!  Já sou sua seguidora e divulgadora!!!
     Bjs da TT do fofaefeliz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Não conheço ninguém com esses problemas, geralmente as pessoas que conheço com algum distúrbio alimentar comentam comigo sobre o quanto comem quando estão ansiosas e por isso não conseguem emagrecer.
    Vi na TV falando sobre anorexia, meninas de 10 anos que começam a fazer compulsivamente alguma atividade física e em outro programa uma jornalista mostrou diversos sites e blogs incentivando outras meninas a montar um scrapbook com fotos de mulheres perfeitas, e as fotos? De modelos anorexias... Dietas exageradas das cores: dia do verde, comer uma fatia de melão no dia. Coisas assim... super exageradas!
    Deveria ter uma forma de banir esse tipo de informação ou incentivo na net.
    Muito legal o post Sol!
    Bjksss

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante!

P.S. Você pode adicionar o link do seu blog, desde que o comentário seja referente ao post e não propaganda particular.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...