Image Map

10 julho 2013



“À espera de elogios”

Quem não gosta de elogios que atire a primeira pedra, não é mesmo?

Você já reparou o quanto somos dependentes da aprovação das pessoas?
Mesmo depois de adultos, casados, com filhos, profissionalmente independentes, em muitos aspectos de nossa vida, ficamos esperando reações boas das pessoas?
Acho que dentro de um nível normal, esta espera por recompensa, carinho, aceitação e elogios é natural, porque precisamos de feedback das pessoas, queremos saber se estamos no caminho certo, se no trabalho estamos cumprindo nossas metas, se na relação íntima, estamos agradando nosso parceiro ou parceira; se estamos sendo bons pais, ou bons filhos, entre outras coisas.
Acho saudável levar em conta a opinião das pessoas a nosso respeito, porque a harmonia na convivência é um maravilhoso alicerce para as boas conquistas da vida e harmonia depende da troca entre as pessoas.
Uma hora é você que ajuda, estende a mão, ouve o amigo, cuida de alguém, e quando você precisa, naturalmente cultivando bons relacionamentos, alguém irá cuidar de você.
Mas ainda que estejamos cultivando bons laços de amizade e relacionamentos, não podemos ficar o tempo todo reféns da opinião alheia.
Precisamos desenvolver a nossa personalidade para nós mesmos nos oferecermos amor, impulso para mudanças, carinho, entendimento.
Cuidar dos outros é importante, olhar o entorno em busca de referências é natural, mas precisamos olhar para dentro também, e em igual proporção, pois se ficamos o tempo todo cuidando dos outros, numa falsa doação de amor, quase sempre deixamos de lado coisas que são importantes.

“Digo falsa doação porque, em alguns casos, doar-se demais esconde uma falta de amor-próprio.”

Cuidar dos outros é importante, olhar o entorno em busca de referências é natural, mas precisamos olhar para dentro também, e em igual proporção, pois se ficamos o tempo todo cuidando dos outros, numa falsa doação de amor, quase sempre deixamos de lado coisas que são importantes.

Comentários da Sol:

O texto acima nos dá liberdade para ir de encontro à disciplina interior. Ou melhor, dizendo, elogios são bem vindos, mas não devemos ser escravos.
Viver para agradar o próximo implica em muita anulação dependendo do que se faz.
Tudo precisa ser leve, autêntico, sem forçar a barra pra nada nem ninguém.
Você já reparou como as crianças são mais livres nesse sentido?
Quando gostam, simplesmente dizem que “sim”, quando não gostam falam na maior naturalidade.
Geralmente o que nos difere das crianças além da idade, são as estruturas corporais e também os níveis de couraças.
Repare que as crianças, são mais coradas, tem uma graça, uma soltura corporal, uma flexibilidade incrível.
Nós adultos, por uma série de questões, nos tornamos robotizados, com estrutura pouco flexível, controlamos inúmeras vontades. Nem sempre somos autênticos porque isso influi em magoar outras pessoas, enfim, nossa liberdade de dizer o que verdadeiramente pensamos fica limitada a maturidade da pessoa com quem estamos lidando. Resultado: Couraça muscular!
A sensação é bem como está na figura acima, presos no próprio corpo, no seu sentir, na sua expressão.
Será que vale a pena?

“Acredito que o mundo precisa de histórias felizes”.

As pessoas soltas, leves, que dão risada gostosa, risada sincera, vivem com mais saúde, e com mais paz interior.
Alguns dizem que são assim ou assado por serem pessoas que vivem sozinhas, portanto alegam solidão.

"A meu ver, solidão nada mais é do que a ausência de si."

 Permita-se  ser elogiado, mas não seja escravo do elogio.
Cada um dá o que tem!
Cada um é o que pode ser! Nem mais nem menos, apenas e simplesmente o que consegue ser neste momento.
Queira ser melhor, mas o foco é você! Melhor pra você!
O mundo agradece! O retorno é compensador, acredite!
Pense nisso!
"Às vezes você precisa simplesmente parar de se preocupar, de se questionar, de duvidar. Tenha fé que as coisas irão dar certo. Talvez não do jeito que você planejou. Mas do jeito que elas têm que ser." (Flavia Melissa)
Fonte: Baseado no texto de Maria Silva Orlovas
Imagens: Google
Comentários: Sol Neves
3
Comentários via FaceBook

3 comentários:

  1. Sol, eu aprendi que um elogio (sincero) pode fazer milagres. Parece que a vida meio que nos "molda" para sabermos criticar e reclamar com destreza, bem mais que elogiar. Conheço infinitas pessoas que possuem dificuldades imensas para elogiar e até para agradecer e acho isso tão triste.

    Porém elogiar por elogiar, da boca pra fora, sem sinceridade é muito fácil e bem mais comum do que a gente imagina, já percebeu isso? (lamentável).

    Bom, eu AMO o elogio, amo expressá-lo às pessoas que lhe são merecedoras. Tento praticar o ato com mais frequência do que o ato da crítica. E isso me faz tão bem...



    Seu texto é muito reflexivo...
    bjkas!

    ResponderExcluir
  2. Bia obrigada pelo comentário maravilhoso.
    E concordo com vc, a prática do elogio deveria ser mais frequente quando vem de dentro, ou seja, nutrido de sinceridade. Já a crítica, realmente nos torna mais ácidos. Mas de qualquer forma tudo fluindo naturalmente é bem melhor. Ao meu ver, pessoa que cava elogio me soa como auto afirmação, entende? É maravilhoso ser elogiado mas é importante não depender disso pra seguir a vida. Sempre no equilíbrio né não????
    Bjos minha linda!

    ResponderExcluir
  3. verdade, Sol. Beijos e "sem querer elogiar, mas já elogiando" (kkkkk): Parabéns pelo post. ;)

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante!

P.S. Você pode adicionar o link do seu blog, desde que o comentário seja referente ao post e não propaganda particular.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...